Compartilhar:  

Artigos > David J. Peterson

por Alexis Ulrich  LinkedIn

David J. Peterson

David Joshua Peterson

Depois de estudar lingüística na Universidade da Califórnia em San Diego (obteve um Master of Arts em 2006), David J. Peterson co-funda a Language Creation Society que promove as línguas construídas. Em seguida, é escolhido pela HBO para criar a língua dothraki para a série televisiva Game of Thrones, então vai inventar muitas línguas para a televisão, o cinema e a literatura.
Ele tem a seu crédito o dothraki, o alto valyriano e seus derivados (Game of Thrones), o castithan, o irathient, o indojisnen, o kinuk’aaz e o yanga kayang (Defiance), o shiväisith (Thor: O Mundo das Trevas), o sondiv (Star-Crossed), o væyne zaanics (The Zaanics Deceit), o lishepus (Dominion), o trigedasleng (The 100), o Verbis Diabolo (Penny Dreadful), o munja’kin e o inha (Emerald City), o noalath (The Shannara Chronicles), o orcish (Warcraft), o nelvayu (Doctor Strange), o vōv (para a ópera do mesmo nome), o övüsi e o bodzvokhan (Bright), o azrán (Into the Badlands), o afata, o g’vunna, o gandal e o veda (Arena of Valor), o yulish (Crónicas de Natal, 1 e 2), o achaiano e o tala (Another Life), o Hen Linge (The Witcher), o engála, o tpaalha, o lalyáz e o mimignaqs com a Dra. Jessie Sams (LangTime Studio), o méníshè (Motherland: Fort Salem) com a Jessie Sams também, a língua de Adão (Lovecraft Country), o kumandrano (Raya e o Último Dragão), o ravkan, o kerch e o fjerdano (Shadow and Bone), o hayano (para o musical interactivo WeCameToDance), uma(s) língua(s) para o próximo filme Dune (o chakobsa?), assim como muitas outras línguas ainda não exploradas comercialmente.

Este site usa cookies para fins estatísticos e de publicidade. Ao utilizar este site, você aceita o uso de cookies.