Compartilhar:    

Contar em solresol

Digite um número e leia-o por extenso em solresol.

Visão geral

Quarenta e dois em solresol Inventado pelo francês Jean-François Sudre a partir de 1827 e publicado postumamente em 1866, o solresol é uma língua artificial baseada nas sete notas musicais do ao si. Como pode ser representado de diferentes maneiras, em palavras, sons, cores, números, ou notas numa pauta escrita ou representada por quatro dedos, tem uma vocação de universalidade. Caiu em desuso depois de um breve sucesso no século XX, e agora não é realmente praticada.

Lista de números em solresol

  • 1 – redodo
  • 2 – remimi
  • 3 – refafa
  • 4 – resolsol
  • 5 – relala
  • 6 – resisi
  • 7 – mimido
  • 8 – mimire
  • 9 – mimifa
  • 10 – mimisol
  • 11 – mimila
  • 12 – mimisi
  • 13 – midodo
  • 14 – mirere
  • 15 – mifafa
  • 16 – misolsol
  • 17 – milala
  • 18 – misisi
  • 19 – fafado
  • 20 – fafare
  • 30 – fafami
  • 40 – fafasol
  • 50 – fafala
  • 60 – fafasi
  • 70 – fafasi mimisol
  • 80 – fadodo
  • 90 – fadodo mimisol
  • 100 – farere
  • 1 000 – famimi
  • um milhão – fasolsol
  • mil milhões – falala
  • um bilião – fasisi

Esboço lexical

O léxico do solresol é construído a priori e agrupa as palavras em números de sílabas ou de notas. As combinações de uma e duas notas formam as partículas e os pronomes (si sim, não, e), as combinações de três notas listam as palavras mais comumente utilizadas (doredo o tempo, doremi o dia), e as combinações de quatro notas distribuem-se em sete classes (ou claves) de acordo com a nota inicial: a clave de pertence ao humano físico e moral; a de à família, à limpeza e à higiene; a de mi às ações do homem e aos seus defeitos; a de ao campo, às viagens, à guerra e à marinha; a de sol às artes e à ciência; a de à indústria e ao comércio; a de si às relações políticas e sociais. As combinações de cinco notas fornecem a classificação dos animais, dos vegetais e dos minerais. Os números fazem parte das combinações ternárias juntamente com as estações, os meses e as temperaturas.

Regras de numeração do solresol

  • A numeração opera por periodo de seis números. Cada número é um nome de três notas, as mesmas nunca se podem repetir três vezes (uma regra implícita do solresol).
  • De um a seis, as palavras começam por , a segunda nota é discriminatória e repetida uma vez, à exceção de : redodo [1], remimi [2], refafa [3], resolsol [4], relala [5] e resisi [6]. Zero diz-se soldo, o que significa nada.
  • De sete a doze, as duas primeiras notas são mimi, a terceira sendo cíclica, e mi não está representada: mimido [7], mimire [8], mimifa [9], mimisol [10], mimila [11] e mimisi [12].
  • A série seguinte vai de treze até dezoito. A sua primeira nota é mi, e a segunda faz um cíclo de a si (omitando o mi) e repete-se uma vez: midodo [13], mirere [14], mifafa [15], misolsol [16], milala [17] e misisi [18].
  • A série seguinte vai de dezanove a sessenta, as suas duas primeiras notas são fafa e a terceira cíclica de a si (omitando o ): fafado [19], fafare [20], fafami [30], fafasol [40], fafala [50] e fafasi [60].
  • Em seguida, passamos ao oitenta, e depois às potências de dez, começando por seguido pelo cíclo de a si, repetido uma vez (omitando o ): fadodo [80], farere [100], famimi [1 000], fasolsol [um milhão], falala [mil milhões] e fasisi [um bilião].
  • Pela sua construção, o solresol faz parte dos sistemas de escala curta, onde a cada nome de escala múltiplo de mil corresponde um nome (fasolsol [milhão], falala [mil milhões], fasisi [bilião]).
  • Poder-se-ia perguntar como são feitos os nomes de escala maior. As séries lógicas por 1015, 1018 e 1021 poderiam ser ou soldore (copiar), soldomi (imitar) e soldofa (exemplo), ou soldodo (domingo), solrere (passado) e solmimi (presente). Desde que o solresol baseia-se num número muito limitado de notas, os neologismos entram rapidamente em conflito com as palavras já existentes, se quiser manter a sua construção lógica (neste caso o facto de que um número se compõe de três sílabas).

Livros

Langue musicale universelle
, editora à compte d’auteur (1866)

Histoire de la langue universelleHistoire de la langue universelle
por , editora Hachette (1903)

Línguas auxiliares

Bolak, Digisk Folkspraak, esperanto, Folkspraak, idiom neutral, ido, intal, interlíngua, interlingue, kotava, latino sine flexione, lingua franca nova, mondial, ro, solresol, sona, spokil, tutonish, uropi e volapuque.

Outras línguas suportadas

Línguas suportadas por famílias
As outras línguas atualmente suportadas são muito numerosas para serem listadas aqui. Por favor selecione uma língua na lista drop-down abaixo ou clique na lista completa das línguas suportadas.

Este site usa cookies para fins estatísticos e de publicidade. Ao utilizar este site, você aceita o uso de cookies.