Compartilhar:    

Artigos > Escalas numéricas curtas e longas

por Alexis Ulrich  LinkedIn

Dependendo dos países, usam-se diferentes maneiras para criar os nomes dos números grandes. Entre elas, há duas principais: a escala numérica curta e a longa.
Mas qual é a diferença entre as duas?

Escala numérica curta

Na escala curta pelos nomes dos números grandes, cada número maior do que um milhão é mil vezes maior do que seu antecessor (os algarismos são agrupados em três).
Por exemplo, um milhão vale 106 e um bilhão 109 no português brasileiro, isto é mil milhões no europeu. O nome de escala seguinte é o trilhão, que vale 1012, quando esta posição está ocupada por um bilião em português europeu, pois que no português europeu alternam-se os nomes de escala e os milhares.

Escala numérica curta

Escala numérica longa

Na escala longa, cada número maior do que um milhão é um milhão de vezes maior do que o seu antecessor (os algarismos são agrupados em seis).
Por exemplo, um milhão vale 106 e um bilião 1012 no português europeu, ou seja um milhão de milhões, um trilião valendo 1018.

Escala numérica longa

Uma visão europeia

Historicamente, a escala longa tem sido utilizada em França desde o final do século XV e espalhou-se pela Europa até o século XVII, quando a escala curta foi definida. Doravante de moda, a escala curta alastrou-se à medida que os países europeus «descobriram» o mundo e criaram colónias (o uso da escala longa alastrou-se também deste modo antes de ser substituída com a escala curta).
Depois de algumas idas e vindas entre as duas escalas, a situação atual pode ser resumida da maneira seguinte. Os países europeus agora utilizam a escala longa na maioria (à exceção do Reino Unido), enquanto algunas antigas colónias de vários impérios guardaram a escala curta (Brasil, Estados Unidos da América) e outras a longa (todos os países de língua espanhola, com exceção de Porto Rico).

Diferentes culturas, diferentes escalas

Agrupar os números por três o seis algarismos não é obviamente a única forma de fazer para chamar os números grandes. A língua china moderna agrupá-los em miríades, ou grupos de quatro algarismos (亿 vale 108, 1012), tal como o japonês ( vale 104, 108) e o coreano ( vale 104, 108), o tonganês tradicional tem nomes específicos pelas potências intermédias de dez (mano vale 104, kilu 105)…
O que faz também a beleza das línguas, é toda a gama de possibilidades que oferecem. Mesmo numa área tão pequena como a nomeação de um número grande, as diferenças na maneira de contar e nomear são impressionantes, e abrem novas janelas nas culturas transmitidas por essas línguas.

Este site usa cookies para fins estatísticos e de publicidade. Ao utilizar este site, você aceita o uso de cookies.