Uns plurais bem singulares

por Alexis Ulrich

Na maioria das línguas, à unidade corresponde a forma não marcada de uma palavra, o plural sendo obtido pela inflexão do singular. Por exemplo, ao singular gato do português corresponde o plural gatos. A língua portuguesa tem dois números gramaticais: o singular e o plural. Outros idiomas têm várias formas de números gramaticais dependendo do número de unidades associadas.

Diferentes tipos de plurais

Algumas línguas têm um plural dual que corresponde a duas unidades, como o árabe, o esloveno ou o taitiano. No esloveno, por exemplo, uma casa diz-se mesto, duas casas, mesti e mais de duas casas, mesta. No árabe, usa-se hisan para um cavalo, hisan-an para dois cavalos, e ahsinah para mais de dois cavalos.

O plural trial corresponde a três unidades, como no mwotlap falado em Vanuatu: na-m°alm°al (a moça), yô-ge m°alm°al (as duas moças), têl-ge m°alm°al (as três moças), e ige m°alm°al (as moças).

Ao plural quadral correspondem quatro unidades, e o sursurunga da Papua-Nova Guiné é frequentemente citado em exemplo da utilização dele, embora os autores preferam a ideia de uma forma de paucal para significar aproximadamente quatro itens. Haveria, portanto, nesta língua um plural dual, um paucal (mais ou menos três unidades) e um paucal maior (mais ou menos quatro unidades), antes de atingir o plural genérico dos números maiores, ou número de unidades para além dos plurais particulares.

O plural paucal restringe-se a um número pequeno de unidades, e corresponde a «um bocadinho». O limite superior dele permanece incerto e o limite inferior depende do sistema que o inclui. Por exemplo, em baiso, uma lingua cuchítica falada na Etiópia, lubán-titi quer dizer um leão, luban-jaa, alguns leões, e luban-jool, muitos leões.

Existe também o coletivo que reúne um conjunto de unidades, e o singulativo que isola uma. Em bretão, um rato (logodenn) é o singulativo de logod (os ratos em geral), que podemos tornar plural num contexto específico (logodennoù). O galês, o árabe e as línguas nilo-saarianas também exibem essa característica. O número coletivo não deve ser confundido com o nome coletivo (uma alcateia de lobos, um cardume de peixes) que pode ter uma forma plural.

Alguns nomes são qualificados de maciços, ou simplesmente não contábeis: não se podem pôr em plural, salvo exceção. Em português, a coragem fica em singular, enquanto o vinho possa ser plural mas com uma mudança de sentido. Se podemos dizer vinhos (de mesa, verdes, de uma região determinada), não o contamos (um vinho, dois vinhos). Mas os substantivos contáveis de uma língua não o são necessariamente noutra, e vice-versa. Podemos contar batatas em português, mas não em russo: картошка significa mais precisamente um pouco de batata.

Finalmente, existe um número plural distributivo que considera um conjunto de unidades como unidades independentes, que podemos encontrar em navajo por exemplo onde é indicado pelo prefixo da: kǫ’, uma fogueira, e daakǫ’, muitas fogueiras consideradas individualmente.

Último caso muitas vezes esquecido: as pares. Alguns objetos ocorrem em pares sem corresponder a um dual, as pares de uma língua não sindo as doutra. Às calças portuguesas correspondem un pantalon (singular) em francês, o que complica a pluralização em empréstimo, uma palavra singular numa língua sindo plural noutra.

Localização do plural

Chama-se localização o fato de preparar um software, uma aplicação ou um website para suportar diferentes idiomas. Idealmente, este processo merece ser pensado de antemão, mesmo que muitas línguas sejam adicionadas após o fato quando quiser adaptar-se a diferentes culturas alvo.

Na maioria das línguas indo-européias atuais, encontramos os dois números gramaticais do singular e do plural, ao qual podemos acrescentar o valor vazio (para um número nulo de elementos).

Se quisermos gerir uma única língua ou várias numa mesma aplicação, por exemplo, utilizando um sistema para associar uma palavra ou uma frase a uma chave, muitas vezes é necessário gerir os diferentes números gramaticais possíveis.

Por exemplo, uma interface pode apresentar 0 mensagem (ou Nenhuma mensagem), 1 mensagem (ou Uma mensagem), ou ainda n mensagens, n sindo um espaço reservado para ser substituido durante o processamento.

Uma aproximação ingênua consiste em tratar os diferentes casos na base de uma condição pelo valor de n no momento da produção da cadeia para a exibição dela. Esta abordagem tem duas grandes desvantagens: torna rapidamente o código pesado, e sobretudo não se adapta às línguas com números gramaticais diferentes.

Se você acha seu código a priori internacionalizado uma vez que suporta o português, o inglês e o francês, não o será mais quando quiser suportar o russo e o esloveno.

Crédito da foto: Sgerbic, Wikimedia Commons (em inglês, o plural de die (dado) é dice).